fotografia

                                    série cicatriz

                              2000-2006

Marcas de destruição nas paredes vizinhas aos prédios demolidos. Estas fotos foram feitas ao longo de seis anos em diversas cidades.

 

Marcas e vestígios foi uma exposição individual de fotografias desta série, em 2006.

Espaço Idea. Rio Grande-RS

 

Além de fotos impressas havia projeções em duas paredes que formavam um ângulo de 90º.

 

                                  série o sono sem sonho

                                do espaço

                                2001-2005

Esta série fotográfica é sobre os espaços emparedados que são encontrados nas cidades. Em geral, são prédios abandonados e que têm suas portas e janelas fechados, com alvenaria, com o objetivo de evitar invasões.

05 fotografias foram selecionadas para uma exposição coletiva no Museu de Arte de Ribeirão Preto-SP, em 2005. Elas foram impressas em tamanho grande, em papel adesivo, e coladas diretamente na parede. Assim, para serem retiradas do local, tinham de ser destruídas, de certa maneira sua vida mimetizava o destino dos prédios emparedados.

                                corpopaisagem#rosário

Da série de fotoperformances corpopaisagem, estas duas imagens foram selecionadas para participar da exposição coletiva " A fotografia como corpo performatizado: a autoridade da imagem construída", em 2016, no Espaço Cultural da ESPM, em Porto Alegre-RS.

Curadoria de Niura Legramante Ribeiro.

                                   abrete sesamo

 

Galeria Llavero

Rosário, Argentina

2011

curadoria cultura pasajera

Série fotográfica Aldravas

fotografias impressas em dimensões variáveis

exposição individual